Como as intervenções são classificadas

As intervenções cartografadas em nosso site são divididas em quatrotipologias. Cada qual possui uma cor correspondente, que aparece nos botões de seleção, nos pins do mapa e nos diagramas axonométricos presentes na galeria de cada intervenção.

Apropriações espontâneas:

São agrupadas nessa tipologia intervenções que têm como motivação principal a ocupação e ativação de espaços púbicos. Apresentam muitas vezes um caráter subversivo, acontecendo em lugares incomuns para aquele tipo de atividade. São ações que dialogam com os conceitos de flexibilidade e dinamismo, trazendo vitalidade e, muitas vezes, atribuindo identidade aos espaços que ocupam.

Por exemplo:

foto 1

Cineminha no beco – Maré

Intervenções de arte pública:

São as intervenções dotadas de motivações artísticas, que buscam novas formas de interação com o usuário e de diálogo com o espaço público.Em meio aos usos cotidianos, apostam na ruptura por meio da surpresa, questionando os espaços e trazendo novos olhares para a cidade e seus detalhes.

Por exemplo:

foto 2

Escadaria Grande Otelo

Festas locais:

São intervenções que acontecem com o propósito de celebração de datas ou pessoas, sendo muitas vezes exemplos de resistência e de reconquista do espaço público. Suas atuações revelam a versatilidade dos espaços e sua reversibilidade.Promovem a integração entre os usuários, fortalecendo a coesão social de vizinhanças.

Por exemplo:

foto 3

Festa de São João em Quintino

Ações Táticas:

As ações táticas têm como objetivo a transformação física imediata por meio de ações ágeis, de curto prazo e baixo custo, visando testar o espaço para futuras transformações de caráter permanente. Costumam utilizar materiais baratos e de fácil acesso e ocorrer em etapas, mostrando para a população as possibilidades dos espaços.

Por exemplo:

 

foto 4

Rio + Pedestre

Compartilhe:
Voltar